quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

ATÉ LOGO MAIS, DEUSINIR (NIR)...


Por:Francisco Solinésio Bezerra Crisóstomo

13 de Fevereiro de 2012, esta data ficará marcada em minha mente. Nesta data minha esposa foi vencida! Ou será que não? Pelo meu prisma, a Nir, com a ajuda dos amigos espirituais deixou este campo de batalha que é a vida terrena, como vitoriosa. Vitoriosa por nunca ter se revoltado com os “estragos” causados pela doença que vinha minando suas forças há quatro anos e quatro meses. Vitoriosa pelo exemplo de guerreira, que ela nunca fez esforço para demonstrar. Durante esta batalha jamais se descuidou do amor e carinho que tinha e ainda tem pelos filhos e por mim.

A lembrança da preocupação dela com os cuidados que deveríamos ter com minha mãe, mostra o quão grande é sua capacidade de amar, pois já sem mobilidade e sem fala nunca deixava de me cobrar minhas obrigações filiais. Sempre me encantoava, para que eu não relaxasse com a educação moral de nossos filhos, e se hoje consegui ensinar alguma coisa a eles, o mérito sempre foi todo dela. Guardiã incansável a me orientar quais os caminhos certos a seguir, não se descuidava jamais para os que a rodeava, me dando a honra de expor seus conselhos e ensinamentos.

Mas o desencarne chegou e depois de tanto tempo ouso dizer, afinal... O sofrimento físico de sentir-se prisioneira do próprio corpo deixava-a impaciente, mas não menos sábia. Usava-me como tradutor dos seus anseios e sonhos que na sua maioria calavam fundo em meu ser, me oferecendo um norte seguro na formação de meu caráter.

Mas a hora dela chegou. Chega de sofrimento! O seu espirito alçou voo para outras paragens evolutivas no mundo maior. Deixando somente seu corpo inerte e muitos débitos saldados. Deixa-nos saudade de sua presença física, mas, sua presença espiritual sempre estará conosco, como a nos alertar para o correto fazermos. Débitos pagos, cobrança extinta.

Desencarna uma guerreira para renascer como espirito livre no plano espiritual. Agradeço a Deus pela oportunidade de ter convivido, aprendido e lutado contra minhas imperfeições ombro a ombro com ela. Através da irmã dor, me foi ensinado os verdadeiros significados das palavras: paciência e fé. Foi-me marcado a fogo a certeza da Providência Divina e da grandeza dos ensinamentos do Messias, com seu amor e lógica irrefutáveis.
Separo-me momentaneamente de minha companheira de lutas pelo resgate e aprendizado. Mas haveremos de continuarmos nossa senda evolutiva na luta constante das nossas más inclinações morais, tentando fazer surgir em nós, uma nova pessoa, melhor do que ontem e pior do que seremos amanhã.

Que Deus te ampare Nir, que os trabalhadores da seara do Mestre Jesus, estejam sempre ao teu lado na incansável luta pela evolução. Até logo meu amor. Muitas outras lutas haveremos de travar contra nossas imperfeições e espero que esteja ao meu lado, a me guiar.
Até logo mais...

Do teu marido e aprendiz,
Francisco Crisóstomo

Um comentário:

  1. Saudades amenizadas com sua comprovada participação no Nati - Núcleo de Apoio a Terceira Idade, que de intensa fica quase palpável...

    ResponderExcluir